conversa-de-boteco-titulo

“De dia eu sou plebeu, de noite eu sou nobre!”

moacir-luz

Apesar de atuar profissionalmente no Tonico’s Boteco há mais de dez anos e por isto ter visto nascer lá o grupo Velha Arte do Samba nunca tinha encostado a barriga no balcão para uma “Conversa de Boteco” com um dos mais talentosos cantores da região: Nelson Fideliz.

Na noite de sexta-feira, dia 30 de novembro de 2012 este vazio foi preenchido.

Naquele cantinho onde o balcão se junta à parede onde está o velho barbudo estampado sobre os azulejos me juntei a ao cantor no intervalo e chamamos a Brahma.

Após o brinde com tilintar de copos cheios veio a primeira surpresa: Sou serralheiro!”

Cacilda, há mais de dez anos convivendo com ele pra só agora revelar a profissão?

Ele está prestes a completar 70 anos em 2013 e depois de cantar desde os 9, tem outra revelação curiosa: “Se eu não fosse cantor queria ser escritor. Gosto muito de ler. Leio muito e gostaria de ser escritor se não fosse cantor”.

E a confissão continua. “Eu fui homenageado pela Câmara Municipal de Campinas com o prêmio Zumbi dos Palmares. Tenho muito orgulho de ser negro e nunca tive problemas. Ao contrário lido muito bem com isto. Eu costumo dizer aí que de dia eu sou plebeu e de noite eu sou nobre.”

Entre um cumprimento e outro de freqüentadores da casa e apreciadores do Velha Arte do Samba ele vai abrindo o jogo. E sonho, você tem? Com o que você sonha, eu pergunto. “Cara você não vai acreditar mas o meu sonho é desfilar numa escola de samba. É isto. Este é o meu sonho que ainda quero realizar”.

Escola de samba do Rio? “Não daqui de Campinas. Apesar de viver do samba nunca desfilei numa escola de samba. Acontece que no carnaval eu sempre trabalhei cantando em grupos por aí afora. Assim não sobra tempo para participar. Mas eu ainda vou realizar este sonho de desfilar numa escola de samba aqui em Campinas”.

E pra saber o que ele gosta de cantar é fácil. Pergunta ele responde: “Tudo”. Mas tem lá no fundo um preferenciazinha: dor de corno. “É. Gosto muito de Orlando Silva e Nelson Gonçalves. Quando canto por exemplo “A Volta do Boêmio” eu curto muito. Mas muito mesmo”.

Então ficamos assim, quem quiser ouvir Nelson Fideliz interpretando “A Volta do Boêmio” de Nelson Gonçalves passa no Tonico’s Boteco na segunda e última sexta-feira do mês. Pede a ceva gelada e curta!

Foto e Texto: Gilberto Gonçalves

VOLTAR