conversa-de-boteco-titulo

Desbancando o Pinguim

Jaguar

O cartunista Jaguar tinha um sonho: conhecer o Pingüim, a choperia famosa de Ribeirão Preto. Ele chegou até a bolar um plano com amigos cariocas para a empreitada.

Reunidos em grupo fretariam um avião, sairiam logo cedo do Rio e voariam para Ribeirão Preto. Ficariam lá o suficiente para encher o caco de chopp no tal Pingüim e voariam de volta para o Rio. “E sem ter que correr risco de dirigir de fogo” ele explicava.

O sonho foi realizado no dia 22 de agosto. Ele foi de carro para o lançamento do livro “Antologia do Pasquim – Volume I” e claro, conhecer o Pingüim.

Como ele faria o lançamento do livro no dia seguinte (23 de agosto) aqui no Tonico’s Boteco a equipe aqui da casa o acompanhou em sua “maratoma” por Ribeirão Preto. Ele não só conheceu o Pingüim como foi ciceroneado por ninguém menos que Dr. Sócrates (isso mesmo, aquele da Democracia Corinthiana). O que os dois beberam juntos acho que cabe num caminhão pipa. Juntou a sede (do Jaguar) com a vontade de beber (do Sócrates) e rendeu uma noite de muito boas lembranças.

Na quarta, já almoçando quase no meio da tarde no Tonico’s Boteco, Jaguar mandou descer um chopinho na pressão. Duda, o mestre barman caprichou! E na seqüência o segundo, o terceiro, o quarto… com um filé mignon mal passado com arroz e fritas. “O prato típico de carioca. E não me venha com esse negócio de self-service não. Quero mesmo é a la carte”. Depois dos chopinhos na pressão, do filé e do cafezinho, a dose inseparável e insubstituível de Humdemberg.

Satisfeito, confidenciou no nosso pé de ouvido: “O Pingüim é o Pingüim mas o chopp daqui tá muito melhor. Que ele não nos ouçam…” Um crédito incomparável para o Tonico’s Boteco: seu chopp é, segundo Jaguar, melhor que o do Pingüim.

Salve!

Foto e Texto: Gilberto Gonçalves

VOLTAR